Resenha: Batom vinil Quem Disse Berenice Vermenil

Oii gente!!
E aí vocês sabem, a gente recebe aqueles email marketing liiindo de morrer da QDB com lançamentos com fotos tentadoras e a gente se sente na obrigação de ir conhecer não é mesmo?
Imagina só o trabalho das meninas do marketing montando aquela campanha, capaz que não vou conhecer o produto né?!
Aquela passada estratégica no shopping antes da aula pra provar a novidade porque eu não me arrisco a investir em algo que não sei se vou gostar ainda… R$35,90 né gente.

batom vinil


Preciso comentar que uso batom vermelho e escuro há poucos anos. Basicamente desde quando estourou a moda dos batons matte, porque antes disso tinha sérios problemas em experimentar batons e lidar com as velhas particularidades: pigmento, textura, durabilidade, transferência.
Daí agora já tá todo mundo enjoado do matte e irritado com as particularidades dele (resseca boca, esfarela, craquela, manchado, cor diferente) e começaram as invenções novas pra variar.
O batom vinil em si, a aparência dele, é basicamente um gloss. É, aquele gloss melequento que a nossa versão adolescente usava, vestindo macacão e rabo de cavalo, mascando chiclete e lutando pro cabelo não grudar nos lábios porque senão tudo virava uma nhaca nojenta. Só que a diferença é que ele não gruda tanto assim. Mas parece que sim…
Vou explicar isso melhor. Tem mesmo o que a marca chama de “efeito maçã do amor”. No entanto só se a gente olhar bem de pertinho. De longe, fica uma aparência de batom Xing ling barato (palavras da Eskarlet). O cheiro é de giz de cera (ó meu lado infantil voltando). Deve ficar lindo pra uma boca bem carnuda. Mas pra uma boca mais normal ou fina, esquece.

Provei o vermelho, como sempre. Ele se chama Vermenil (vermelho…vinil…).

Bom, mas pensando pelo lado durabilidade e versatilidade.. depois de três horas usando, as bordas espalham, bem característico de batom gorduroso. E como eu estava na aula, considerei tirar ele porque tava um nojo já. Mas achei melhor tirar o excesso com um papel. Melhor ideia do mundo! Deixou de ser um vinil e ficou matte. Fixou super bem a versão matte dele e com uma pigmentação bem bonita. Masssss… Não era vermelho? A versão sem brilho fica rosa! (e eu gostei da cor que ficou)
De fato, pra quem gosta de batom com esse efeito vai adorar. Mas pra mim que ainda prefiro o matte, tô fora dessa. Ainda bem que não comprei.

A cor que ficou depois que dei uma limpadinha

 

Essa foi minha opinião sobre o batom vinil da QDB.

E você? Me conta o que achou do batom…

Estudante de Publicidade e trabalha com TI. É viciada em assistir séries e comer qualquer coisa a qualquer hora.
  • Renata Munck

    Super novidade…está na minha listinha de testes!

    Beijos
    https://renadamimada.blogspot.com.br/

  • Sónia Senra

    Adorei as cores

    Visitem o meu blog: alonewithapaper.wordpress.com