Olá, eu sou Eskarlet Cardoso e eu sou uma compradora compulsiva.

Quando eu compro, o mundo é melhor e então não é mais, e eu preciso fazer isso novamente.

 

Acho que nunca assisti um filme com o qual me identificasse tanto quanto esse do gif; para quem não conhece ele se chama “Os delírios de consumo de Becky Bloom” e foi lançado em 2009, creio que tenha assistido esse filme no mínimo umas 10 vezes e parece que ele nunca perde a sua mágica, o seu modo especial de falar comigo.

Mas o post de hoje é sobre a temática do filme que trata a realidade de muitas pessoas (inclusive a minha), que trata da extrema obsessão que Becky tem por comprar (no caso dela são roupas, no meu são roupas e comida).
Analisando as pessoas na minha volta não é difícil notar que a grande parte também possui obsessão com compras, obviamente cada uma tem sua particularidade mas gasta todos os meses uma pequena fortuna com algo que muitas vezes nem se faz necessário.

Muitas vezes eu paro para pensar e tento me fazer questionamentos, apostas e até compromissos com os cartões das lojas para evitar de gastar e chega a ser quase que uma piada a forma com a qual driblo esses itens rapidamente quando vejo aquela peça que muitas vezes me faz sentir como se pudesse dominar o mundo.

Eventualmente me convenço de que estou exagerando e faço uma limpa nos armários doando boa parte dos itens, e indo buscar soluções mais sustentáveis, porém logo minha completa obsessão volta e saio desesperada comprando tudo que vejo pela frente e resmungando que preciso de um armário maior.

Com a comida não é muito diferente, gasto o vale alimentação inteiro no supermercado com as compras do mês, porém praticamente todos os dias quando volto para casa tenho que passar no mercado porque surpreendentemente esqueci justamente aquele item que eu precisa para a janta (sqn).

Enfim quero dizer que não fomos ensinados a como controlar nossa renda, a maioria dos conteúdos que absorvemos não retrata sobre educação financeira de um modo simples que possamos entender facilmente e aplicar em nossa vida, acredito ainda que minha geração ainda tenha um problema maior pois somos a geração do “aqui, agora” queremos tudo para ontem afinal o que é moda ou especial hoje, amanhã já é antiquado, perdeu a graça e queremos algo novo, algo melhor.

Gaúcha, colorada, completamente louca por maquiagem e muito apaixonada pela vida. Prazer sou Eskarlet, uma publicitária em formação.