Adeus salto alto

Imagine uma criança na casa dos seus 12/13 anos, começando a descobrir sua feminilidade e gostos, ela começa a pesquisar em revistas. blogs, youtubers e se depara com o famigerado salto alto na maioria dos looks das celebridades então na sua cabecinha em construção ela crê fielmente para estar feminina, na moda e enfim arrasando, é necessário o uso do (maldito) salto alto. E dai começa a choradeira: é implorar para mãe de aniversário/ natal/ dia das crianças(?), roubar escondidinho do guarda roupa da mãe todos os pares para encontrar ao menos um milagroso que caiba no pézinho de anjo que não faz nem ideia do que é um calo ou joanete na vida.
Bom se você se identificou com ao menos uma partezinha dessa pequena história significa que temos algo em comum mana; Eu quando comecei a ficar adolescente, enlouqueci de verdade e queria a todo pano um saltão poderoso para abafar na escola (oi? miga??).



Minha mãe não era exatamente contra eu usar salto alto (até porque eu era um verdadeiro porre quando queria algo), mas também não era muito a favor, então em algum momento ela entendeu que era mais fácil me ensinar a usar salto do que brigarmos toda vez que eu levava um par escondido na mochila.
Com o passar do tempo o uso foi se tornando mais frequente e os problemas decorrentes dele (e de outros fatores como alimentação também) começaram a aparecer, com apenas 15 anos eu já tinha algumas varizes nas pernas e agora aos meus 23 as varizes são em maior quantidade e maior tamanho, além de que desenvolvi alguns problemas na coluna.
O ano de 2017 foi como falei lá na página um ano extremamente intenso e nele fiz muitas descobertas sobre mim, muitas dessas virarão posts mais para frente aqui no blog, e uma das minhas descobertas é que apesar de continuar amando e achando muito lindo, meus pés não merecem mais esse pressão e a dor gigantescas de todas às vezes que me aventurava em ficar “linda” com os saltos. Acho que o ponto alto da decisão foi simplesmente o dia que esqueci que ia fazer o rancho após o serviço e fui com um salto muito alto trabalhar, quando falei com o boy ele me lembrou e na hora pensei “tomei no brioco”.
A noite quando cheguei em casa meus pés estavam inchados, vermelhos, com bolhas, e muito mas muito mesmo doloridos, depois disso passei a evitar usar saltos e de alguns meses para cá percebi que nunca mais usei, e que somente a ideia de passar uns  30 min de salto já é algo terrível na Eskarletlândia (referência ao livro de derrotada a poderosa, logo teremos resenha dele aqui também), então oficialmente dei adeus aos meus saltos, obviamente ainda tenho alguns guardados (por sentimento/ lembrança) ou até para alguma festa (que eu vá ficar sentada o tempo inteiro). Como anda o teu relacionamento com os saltos? Tu é do time das enamoradas ou joga no mesmo que eu e ele é apenas o teu crush distante?

Gaúcha, colorada, completamente louca por maquiagem e muito apaixonada pela vida. Prazer sou Eskarlet, uma publicitária em formação.